Fronteiras solidárias, vidas solidárias. Narrativas sobre o deslocamento na tríplice fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru

Em 2004, representantes dos países latino-americanos, reunidos na Cidade do México, elaboraram um Plano de Ação Multilateral (PAM) com o intuito de promover melhoras nos mecanismos de proteção a refugiados da região. Entre suas muitas propostas, o documento introduzia a idéia de fronteiras solidárias. O presente artigo representa um esforço em elucidar as consequências da junção entre fronteiras e solidariedade como estratégia de intervenção sobre a vida em deslocamento em contextos de crise. Ele se engaja, ainda, com as narrativas de oficiais nacionais e internacionais, assistentes sociais e funcionários de ONGs, bem como de associações formadas pelas famílias deslocadas, no contexto da Tríplice Fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru. São propostos três diferentes entendimentos sobre solidariedade que dizem respeito a cada uma dessas perspectivas – gerencial, comunitário e autônomo – acentuando tanto os problemas quanto os aspectos positivos que podem ser suscitados quando se aborda as fronteiras a partir das lentes da solidariedade.

Palavras-chave: Refugiados; Fronteiras; Solidariedade; Soberania; Deslocamento

2010

Carolina Moulin Aguiar,

http://www.csem.org.br/remhu/index.php/remhu/article/view/235

Assine nossa newsletter