Evento

11º Pra Que e Pra quem Servem as Pesquisas sobre Favelas?

Data: 06 de maio

Em outubro de 2016, fruto de uma crítica das favelas com relação a produção acadêmica e sua epistemologia branca, patriarcal, cristã e ocidental, foi criado o Espaço Pra que e Pra quem servem as Pesquisas sobre favelas? De lá até aqui, o coletivo circulou por várias favelas com discussões variadas. Passados 02 anos e 08 meses, o Espaço irá ao Pilotis da PUC-Rio para realizar o 11º encontro.

Nesse tempo percorrido, será a segunda vez em um espaço de universidade. Anteriormente apenas estiveram na UERJ, os outros encontros foram em favelas.

 

Na realização desse 11º encontro, parcerias com o Coletivo Nuvem Negra e Instituto de Relações Internacionais PUC-Rio.

 

E na conversa o tema: Epistemologias e Pedagogias libertárias.

06 de maio, 18:30h às 21:30, Pilotis PUC-Rio.

E os fomentadores da conversa essa vez:

* Luiz Lourenço: Geógrafo e professor de Geografia, atua como educador no Ceasm/Museu da Maré desenvolvendo práticas de Cartografia Social. Pesquisador do Observatório de Conflitos Urbanos na cidade do Rio de Janeiro e integrante do Viramundo - Laboratório das Geografias Populares.

* Carolina Rocha (pseudônimo Dandara Suburbana), de Xangô, escritora, historiadora e ativista na luta anti-racismo. Idealizadora do projeto: Oficina de Escrita para Mulheres.

* Jefferson Brito é graduando em Licenciatura em Ciências Biológicas pela PUC-Rio. Atualmente, desenvolve trabalho de conclusão de curso (TCC) com o tema "Oficinas pedagógicas como método de mapear os diferentes casos de conflitos ambientais", a partir da apropriação dos conceitos sobre (In)justiça Ambiental e Racismo Ambiental. É educador de Ciências no NEAD-PUC-Rio (Núcleo de Educação de Adultos), ativista e militante do CNN (Coletivo Nuvem Negra)

* Noelia Rodrigues Pereira Rego Educadora Popular e Libertária, educadora do Núcleo de Educação de Jovens e Adultos NEAd - PUC-Rio, onde desenvolve ações com pré-vestibular comunitário e alfabetização e ampliação de escolaridade de trabalhadoras e trabalhadores da universidade e de seu entorno; Doutora em Educação UNIRIO. Membra do CEPL - Coletivo de Educação Popular e Libertária.

 

Acesse o evento no Facebook.

Voltar