O projeto pedagógico do MAPI inclui um enfoque especial no desenvolvimento de habilidades e competências profissionais que preparem os alunos para o mercado de trabalho. Um aspeto importante e inovador dessa proposta é a inclusão no currículo do mestrado de um projeto – chamado de “Capstone” – que os alunos desenvolvem em pequenos grupos com organizações que atuam em setores relacionados às diferentes linhas do MAPI: Cooperação Internacional para o Desenvolvimento e Cooperação Sul-Sul; Comércio Internacional e Investimento Direto Externo; Resolução de Conflitos e Mediação; Direitos Humanos e Proteção Humanitária. O projeto faz parte das disciplinas obrigatórias para os alunos do 4o e último semestre do MAPI.
A coordenação do MAPI assina acordos de colaboração com várias organizações, que apresentam propostas de projeto que incluem pesquisas, análises e avaliações de vários tipos sobre tópicos de interesse da organização e relevantes para a sua agenda de trabalho corrente. Para cada semestre, 4/5 projetos de 2/3 organizações são selecionados para serem realizados pelos alunos, tentando cobrir as várias linhas do MAPI.
Os alunos do último semestre são divididos em grupos de 3/4 membros, que trabalham em equipe ao longo do semestre num dos projetos disponíveis, dedicando por volta de 4 horas por semana ao projeto. Cada projeto tem um orientador da organização-cliente e um orientador do IRI, para aconselhar e monitorar o progresso do trabalho. No fim, o grupo apresentará o resultado do seu trabalho à organização-cliente, e receberá uma nota coletiva concordada entre a organização-cliente e o IRI.

Benefícios e responsabilidades

  Os benefícios para os alunos incluem:

  • Melhorar as capacidades de auto-organização e de trabalho em equipe para planejamento e execução de projetos de políticas públicas e internacionais.
  • Reforçar as capacidades de análise de políticas públicas e internacionais aplicando conceitos teóricos a situações e problemas reais, através de revisão da literatura, desenho de quadros metodológicos, coleta e análise de dados, formulação de recomendações, etc.
  • Melhorar as capacidades de escritura de documentos de política pública e internacional, usando dados empíricos para apresentar soluções concretas a problemas de políticas públicas e internacionais, para um público de técnicos e tomadores de decisão.

  As responsabilidades para os alunos incluem:

  • Responder da melhor forma possível à proposta apresentada pela organização-cliente, dentro dos limites de tempo e da capacidade disponível;
  • Atuar com profissionalismo e seriedade, respeitando os prazos combinados e mantendo comunicação constante com a organização-cliente sobre o progresso do trabalho, etc.;
  • Apresentar um relatório completo e profissional no final do semestre, com recomendações concretas para a organização-cliente.

  Os benefícios para as organizações-cliente incluem:

  • Acesso a conhecimentos e capacidades teórico-práticas recentes por parte de um grupo de mestrandos que acabam de passar por vários cursos e disciplinas;
  • Recebimento de um relatório completo e profissional no final do semestre, com recomendações concretas para o seu trabalho na área do projeto;
  • Contar com uma equipe de consultoria a custo zero.

  As responsabilidades das organizações-cliente incluem:

  • Fornecer todos os materiais relevantes (bibliografia, dados, contatos para entrevistas, etc.) para que o grupo possa desenvolver o projeto de maneira efetiva;
  • Organizar encontros regulares com o grupo de mestrandos para acompanhar e orientar o progresso do projeto ao longo do semestre (a expetativa é de pelo menos um encontro presencial por mês) e manter uma comunicação constante com o grupo;
  • Participar da avaliação final do projeto, enviando comentários e proposta de nota ao coordenador dos Capstones.

Exemplos de Projetos já realizados

Instituto Clima e Sociedade (ICS) – Em 2018, um grupo de alunos analisou o alinhamento dos projetos apoiados pelo ICS com a Agenda 2030.

Action Aid – Em 2018, um grupo de alunos acompanhou um seminário internacional da Action Aid sobre o futuro dos BRICS e possibilidades de incidência da sociedade civil, produzindo um relatório analítico e um artigo sobre o tema.

Instituto Igarapé – Em 2018, um grupo de alunos analisou experiências internacionais de resposta ao crime organizado internacional para identificar propostas interessantes a serem promovidas no Rio de Janeiro.

Climate and Land Use Alliance (CLUA) – Em 2018, um grupo de alunos formulou uma proposta de estratégia para promover a proteção dos defensores socioambientais no Brasil.