Notícias

23/01/2019

Segundo volume da Edição Especial 'Gênero no Sul Global'

O segundo volume da Edição Especial da Contexto Internacional (v. 41, n. 1), intitulada “Gênero no Sul Global”  chama a nossa atenção para questões relacionadas com as hierarquias de poder que sustentam diferentes manifestações de violência de gênero, com particular enfoque para o colonialismo e imperialismo e os legados dessas relações.

Lembramos que a revista adota uma política de livre acesso, portanto, é possível fazer o download da nova edição.

Em muitos sentidos, as conexões entre capitalismo, imperialismo e colonialismo são trazidas à tona para compreender as complexidades históricas das manifestações contemporâneas de relações de poder que, de outro modo, só podem ser compreendidas superficialmente.

Os quatro primeiros artigos reunidos nesta segunda parte da Edição Especial refletem sobre as relações de poder entre homens e mulheres na América Latina, chamando a atenção para as dinâmicas contemporâneas que impactam a política em diferentes países da região. Juntos, eles constroem uma visão abrangente das recorrentes hierarquias de poder na região e como elas se relacionam com questões de gênero, sexo e raça, ao lançar luz sobre os legados duradouros do colonialismo e a colonialidade do poder dentro dos países latino-americanos, bem como entre esses países.

Embora a maioria dos artigos aqui coletados reflitam sobre a dinâmica que ocorre nessa parte específica do "Sul global" chamada América Latina, algumas outras contribuições direcionam nossa atenção para diferentes locais e relações, levando em conta a abrangência do "Sul global" e as múltiplas manifestações das subjetividades subalternas, lembrando os efeitos persistentes das relações coloniais na própria arquitetura do internacional. Acima de tudo, sua contribuição conjunta sinaliza precisamente os efeitos persistentes do colonialismo, não apenas no sistema aberto de violências que afetam os corpos (racializados) do colonizado, mas também suas / nossas mentes. Nesse sentido, interrogar o "sul global" abre a possibilidade de compreender diferentes articulações de poder / resistência e convida a múltiplas possibilidades de ser e resistir de outra forma.

Trecho retirado da introdução à nova Edição Especial, Gender in the Global South: Power Hierarchies, Violence and Resistance in the Postcolony, por Natália Maria Félix de Souza.

 

Acesse a primeira parte da Edição Especial (40.3).

voltar